About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

domingo, 24 de outubro de 2010

C91


Eu quis fazer 14 anos
E ter uma festa linda
Com boate e gatinhas
Como todos os meninos.
Eu quis pintar meu cabelo de rosa
Só para saber como ficaria
E colocar um piercing na língua
Para ver como me sentia.
Quis viajar por toda a Europa
Morar na Inglaterra
E dar uma volta ao mundo de bicicleta.
Eu quis ter meu próprio carro,
Minha própria casa,
A minha família e o seu amor.
E a formatura?
Que sonhei tanto...
Sonhei com as aventuras do segundo grau
E quis chegar à faculdade...
E ser um grande piloto de fórmula um, um dia
Para honrar meu país...
Mas, eu acho
Eu acho que
Eu quis demais
Eu quis muito
Eu quis tanto...
Agora, com 13 anos e 7 meses,
Estou preso em uma cama
Com leucemia
E sei que dela
Não vou mais me levantar.
Cadê aquele menino bonito
De sorriso fácil?

É engraçado como a gente muda de idéia
Porque tudo o que eu queria agora
Era ir embora pra casa com saúde
Dar um abraço gostoso nas pessoas que me são caras.
Eu descobri que quis demais porque eu já tinha tudo
Uma família amorosa
Irmãos legais
Amigos leais
E até uma namorada maravilhosa.
Olhe pra mim
Eu perdi tudo por querer demais
Perdi minhas corridas de kart
Perdi minhas músicas favoritas
Perdi até mesmo a calça que eu mais gosto,
Porque não me serve mais, já que estou tão magrinho.
Adianta chorar?
Fernando, por que você não ouviu quando o papai te disse para comer tudo?
Por que você foi tão intransigente?
Está pagando o preço da sua rebeldia
Vai pagar com sua vida, Fernando
Com a sua vida.

Não queira demais
Você sempre tem o suficiente, só precisa enxergar
Ouça seus pais
Ame a si mesmo
Eu acho que não me amei o bastante
Depois dos meus oito anos.
Mas, que droga
O que eu estou dizendo?
Faça o que você quiser
A vida é um ciclo
Boas ou más, suas ações
Sempre voltam pra você
E pode demorar.
Deus,
Que essas pessoas que amo tanto
Não sofram por o que eu fiz (comigo)
E por essas palavras.
Todo suicida deixa sua carta
E eu estou morrendo
Por dentro.

Fernando Carvalho, 2007.

0 comentários :

Postar um comentário