About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

sábado, 23 de outubro de 2010

Conjecturas sobre o amor


Se você quer viver um amor, você nunca o encontrará em uma balada. Desista. Assim, você poderá ter um namoro, uma paixão, quiçá um casamento. Mas não um amor.
Um amor exige dificuldade. As mais lindas histórias de amor não se passam sem obstáculos, e sim com muitas lágrimas. Não é coisa de conhecer alguém na escola, sentir-se atraído e PUM! Chegou-me o amor. Não!
Um verdadeiro amor traz com ele empecilhos. Podem não ser coisas tão dramáticas quanto famílias inimigas (Romeu e Julieta); rigor épico (Titanic), mas sempre há sofrimento e dor: mais lágrimas que sorrisos; distância; pessoas entre os dois; grandes abismos; diferenças; preconceitos - tantas pontes... Um verdadeiro amor não é necessário procurá-lo: é ele que o encontra. Um verdadeiro amor não vê sexo, idade, distância, cor, credo, condição social. É um sentimento especial, que confunde você, pois é novo e único, e de tão óbvio, quase irreconhecível. Não nos cega, como costumam dizer, mas tem uma maneira mágica de nos enfeitiçar. Só nos fortalece e faz com que queiramos mais a felicidade do ser amado do que a nossa própria. Não vem fácil, não vai fácil, não é forçado, não é ciumento, não é possessivo, compreende.
Um amor difere muito de uma paixão. A paixão é egoísta, vê o seu objeto como algo que deve ser seu a todo custo, e não é passível de divisões. Um amor tem também paixão - mas só até o ponto em que um se faz necessário ao outro; um amor não quer o outro para si pois reconhece-se como parte componente do outro e o outro como parte de si. Sendo assim, são dois, mas a sua liberdade é o que os prende e faz deles um. Não há disputas, não há propriedade, não há tampouco insegurança, pois o amor é tão belo e puro que simplesmente sabemos quando somos amados, ainda que nem sempre identifiquemos de pronto quando estamos amando.
O amor só acontece uma vez na vida e você é sempre correspondido quando ama, ao contrário do que pode acontecer quando se apaixona. Se apaixonar, você pode se apaixonar muitas vezes, mas amar, amará uma só. Uma vez só, uma pessoa só... Que sentirá tudo exatamente como você: as mesmas dúvidas, os mesmos calafrios... E você saberá quando estiver acontecendo...

0 comentários :

Postar um comentário