About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Porque os romances vendem

Há de se perguntar por que uma história melosa e que escandaliza totalmente o mundo dos vampiros vende que nem água. Entretanto, além de “Crepúsculo”, muitos outros romances açucarados alcançam bilheterias estrondosas, fazem tremer as bases dos mais durões e, se não derramar lágrimas, ao menos refletir, os mais insensíveis.
A verdade é tão simples que quase não precisa ser dita: romances vendem porque é o sonho da gente. Todos, homens ou mulheres, jovens ou velhos, hetero ou homo, acalentam as mais doces ternuras acerca de uma vida a dois. É o amor perfeito de Hollywood, recheado e quente como sonhos de padaria; é a magia da primeira paixão de escola que, embora irreal, poucos conseguem reproduzir ou outra conquistar com igual inocência de sentimentos e quereres. Para ela, o príncipe lindo, forte, romântico e sensível, que sabe o que dizer e quando; o homem que a ama acima de tudo e se preocupa com seu bem-estar; que lhe elogia o perfume de margaridas e leva waffles com suco de laranja na cama. Para ele, a garota única, virginal, inigualável, que o fará sentir-se igualmente único, incomparável; meiga, dócil, amorosa. Linda, ingênua, que aspira sua proteção.
O engraçado é que, embora cultuando tais estereótipos em sua imaginação íntima, a maioria dos viventes busca no externo exatamente o contrário, priorizando contatos breves, sensuais, inexpressivos e lamentáveis. Todo mundo acha lindo e utópico o que os filmes, livros e comerciais de margarina vendem; no fundo, contudo, ninguém acredita nessa ladainha toda de que vai ser feliz pra sempre com alguém e ou encontrar em uma única pessoa tudo o que precisa. São tantas ilusões, mentiras e verdades desencontradas...! Afinal, o que se precisa está sempre dentro da gente! Só podemos nos encontrar em nós mesmos. Ponto. E feliz pra sempre ninguém vai ser mesmo; há de se ressaltar a convivência, os incômodos defeitinhos do cotidiano que, em uma relação apaixonada, jamais se manifestam nos primeiros tempos. Há de se lembrar dos desacertos de opinião, das falhas de comunicação, da humanidade que não é mostrada nos filmes (no sentido de: stop, pause, não somos super heróis!!).
Romances vendem porque é o sonho da gente.
Como roteirista, posso dizer que tudo para uma história é pensado; há uma estrutura que garante que cada fala ou ação vá perfeitamente de encontro aos objetivos da trama. Na vida real, porém, onde nossos textos são mais complexos e dispomos apenas de uma visão parcial dos fatos, não dá para exigir sintonia perfeita, ligação ímpar, comunhão de ideais e flores pela manhã 100% das vezes. É pedir demais, quando, muitas vezes, sequer permitimos ao parceiro nos conhecer de verdade e eles, a nós, conhecê-los.
Romances vendem porque roteiros são perfeitos. Os cenários são sempre incríveis e as falas sincronizadas. E todo mundo compra a ilusão de um amor perfeito. Só que, perfeito de verdade, é quando uma briga termina com um beijo; apostar corrida com os carrinhos do supermercado; lavar o carro juntos; cantar desafinado no karaokê ou simplesmente pôr a cabeça no colo dele (a) e ficar em silêncio... Sair da mesmice, viver o sentimento. Para um amor ser perfeito, basta ser criativo. E doses fortes de paixão, claro! Porque qualquer romance pode ser perfeito, se não tivermos a pretensão de projetá-lo em algo inexistente nem de compará-lo a algo incomparável. Cada momento é um momento e só uma vez você vai poder fazer algo dele. E é esse algo que fizer que vai te mostrar no futuro se valeu a pena ou ficou pra próxima. Perfeito, não?

2 comentários :

Chico2010 disse...

Mais um texto muito interessante de sua parte!! =D

Tenho uma pequena "tese" sobre essa questão dos romances que todo mundo compra: eles servem para, desde criança, moldar o tipo de relacionamento que teremos quando adolescentes ou adultos. Essas mensagens ficam para sempre em nosso inconsciente, e é bem por isso que uma pessoa irá sonhar com um amor platônico na qual terá um príncipe/princesa encantada que terão belos cabelos loiros e olhos azuis. Além de reprimir as pessoas cujo modelo físico é diferente do padrão estipulado, nos induz a tenar se encaixar naquele padrão e, pior, a buscar pessoas que vivam aquele padrão. Canso de ver as pessoas tentando trazer o cinema ou os livros para a realidade, mas tudo o que há dentro delas é um vazio. E como se estivessem atuando num filme também. E há quem acredite ser essa a fórmula mágica de um relacionamento. Obviamente que essa moldagem tem a intenção de tornar as pessoas insatisfeitas...a mesma tática que é usada com a Mega-Sena..ilude-se as pessoas com a idéia de que FELICIDADE É AQUILO, se vc não seguir esse padrão será infeliz. Já me chamaram de infeliz muitas vezes, mas se realmente entendessem de sentimentos veriam que sou uma das pessoas mais alegres constantemente que existe nesse planeta.

Falei demaaaaais..de repente eu poste o comentário no blog...

bjão Kelly!!!

Kelly Phoenix disse...

Ótima sacada, Chico! Não há muito o que acrescentar, você falou tudo! Ouvindo histórias desde a Disney até na adolescência, com seus "Crepúsculos" aprendemos a alimentar dentro um desejo que, no fundo,é insaciável. Buscando nos demais aquilo que ninguém pode nos oferecer, porque o outro não está ali para suprir nossos vazios... Também tem os dele...
Obrigada por mais esse comentário produtivo e que implementa os argumentos expostos =]

Postar um comentário