About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Uma beleza óbvia

 
Não me acho bonita. Quer dizer, não o tempo todo. Tem dias que me olho no espelho e penso: Caraca! Como eu sou gata! Sério, eu me namoraria! Mas, como todo mortal, tem dias que eu corro de mim. Não curto algum aspecto ou vários combinados e não fico satisfeita com o que estou aparentando. Entretanto, o que não me serve é pensar que só existe um tipo universal de beleza. Que mente limitada!
Uma vez eu estava com um garoto, o qual estava interessada, pela sua qualidade moral e intelectual. Ademais, por detalhe, ele era muito bonito. Perguntei-lhe se me achava bonita também. Após um breve silêncio, ele respondeu-me:
- Bem, não é uma beleza óbvia, mas é bonita, sim.
- Como assim, uma beleza óbvia? – quis saber, intrigada.
- Loira de olhos azuis – falou, simplesmente.
What...? Quer dizer que toda loira de olhos azuis é bonita????????? Nem a pau, Juvenal! Han? Eu tava interessada em você? Tenso.

Bem, para mim, a beleza é plural. Afinal, o que ela é, senão um modo de olhar?
A beleza não pode seguir normas nem padrões. O que é bonito para os outros, pode não ter graça para mim. Muitas pessoas vão atrás do que está na moda sem entenderem do assunto.
Quer um exemplo?
Arte moderna!  Vejo muita gente com a boca aberta e queixo caído diante de uma tela onde esfregaram um monte de tinta. Para mim, a pintura não faz o menor sentido. Uns dizem que o pintor expressou isso ou aquilo. Mesmo assim, eu não consigo assimilar. A pintura não faz sentido aos meus olhos; eu só posso dizer que o pintor não sabe pintar nada e que, aquela tinta jogada em uma tela, até eu posso fazer parecido. Já ouvi de amigos e entendidos de arte tudo a respeito, mas não conseguiram me convencer. Tenho opinião e afirmo, categoricamente, que não gosto. O que admiro e fico encantada é com uma pintura que retrata algo com forma, com definição. Uma paisagem, uma pessoa... Gente, bicho, flor. Eu olho os detalhes e, até mesmo sem saber fazer igual, consigo criticar uma ou outra coisa como a profundidade, cor, brilho, luz... Admiro o que é natural, o que faz bem.
Então, a moda e o que a mídia prega atualmente, é a mulher alta, magérrima, loura, dourada... Raciocina, gente! É um absurdo fazer uma forma e querer impor que todas as mulheres sigam esse padrão, se encaixem nessa forma! Não somos robôs! E as cabeças-de-vento vão, transformam-se, aberram-se, radicalizam-se e se tornam esdrúxulas, na tentativa de adaptar um padrão totalmente diversificado do seu biótipo em nome de uma pregada beleza... Por um modelo imposto, desvalorizam sua beleza natural.
Ande pela rua e me diga quantas mulheres exuberantes, com corpo de top model, você vê? Uma, duas, no máximo! O resto das mulheres é normal! E outra coisa: por quanto tempo esse corpo de modelo ficará assim? O tempo passa e a idade chega para todos, sem exceção. Por isso, quando eu conheço alguém, eu gosto do que a pessoa tem. Admiro e aprecio a bagagem que ela traz consigo. Nunca quero que ela se encaixe nos padrões de beleza ou que seja de outra forma, pois, se for assim, deixo de gostar.
Todo homem gosta de uma mulher bonita? Gosta sim. Mas, às vezes, para exibir, usar e descartar. Para conviver, para viver ao lado, dia e noite, nas dificuldades, ele quer uma mulher de pés no chão, que seja sua companheira, amiga, parceira, compreensiva, honesta. Que o aconselhe e não critique; que o convença, não grite ou exija. Quer uma mulher que converse, brinque, ria... Se ela tiver tudo isso, pouco importa a beleza física. E se importar tanto, ele deve comprar uma boneca. Uma garota bela de verdade, linda por dentro, que se ama e valoriza, não vai querer perder tempo com um cara assim também.

3 comentários :

Chico2010 disse...

Voltaste inspirada da pria, hein?? Hehehe

Excelente sacada essa sua postagem...na verdade o assunto faz parte de um dos maiores dramas que nortearam minha existência: a beleza. Cistaste a arte, e lembrei que na escola víamos que antigamente o padrão de beleza era ser gordinho, o que sempre era expresso em esculturas...hoje é "bonito" seguir os padrões impostos pela mídia, a ponto de vermos por aí pré-adolescentes com cortes estranhos de cabelo e com calças de cores ainda mais estranhas.
Com isso tudo aprendi que beleza não é aquilo que os outros acham bonito, mas sim aquilo que lhe agrada. Não deve agradar somente aos olhos, mas a todos os sentidos. Isso serve para a arte, mas serve principalmente para as pessoas. Não me deixo atingir pelas mulheres que se preocupam tanto com os "padrões" de beleza, pois no geral elas esquecem que o que está por dentro é mais importante...me encanto e me fascino por aquelas cujo brilho interior é intenso, e seu conjunto completo é uma obra prima da natureza. Já me manifestei no meu blog a respeito dessas mulheres. E de uma coisa vc pode ter certeza - VOCÊ possui muito desse brilho interior, nunca se baseie somente no seu espelho para se achar bonita, considero-a bela por completo - e o espelo não mostra nosso interior.
Por fim voltando ao meu drama, minha dificuldade é justamente a de aceitar a mim mesmo...embora eu queira sempre fugir dos padrões sociais, sempre me culpei por estar fora desses padrões....maior do que a discriminação social, sempre discriminei a mim mesmo. O fato de eu marcar meu rosto com as unhas é prova do ódio que sempre tive à minha imagem, e é algo contra o qual luto com unhas e dentes todos os dias para superar, uma batalha que está longe de acabar!

Bom, escrevi demais...nem preciso repetir que teu blog é sensacional, né?

Bjão

Kelly Phoenix disse...

Bem... Infelizmente, minhas palavras não são suficientes para te ajudar... Mas, você mesmo já percebeu que não são os padrões ou aquilo que os outros pensam que importa... Estar belo é sentir-se bem consigo mesmo, em paz, sem se pressionar por algo que não é e, às vezes, nem quer ser... Falta questionamento, falta autoconhecimento...
Obrigada pela parte que me toca :)
Beijo grande

Chico2010 disse...

Na verdade suas palavras colaboram muito para reforçar o que penso sobre o assunto... a questão é justamente a concepção do termo BELEZA. E confesso que tenho superado o tal drama, hoje eu não me culpo se alguém me considera "feio" em todos os sentidos da palavra. Sou assim!

bjão

Postar um comentário