About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Ouça!

    
      Tem coisa mais desagradável que tentar manifestar-se em meio a uma baderna infernal? Brado de vozerios, gente levantando a voz para encobrir a sua... Não, não tem. É uma situação horrível. Chata, deseducada, desagradável. E sim, mesmo sem perceber, a maioria integra esse coro. Todos querem ser ouvidos. Quando todos têm opinião sobre um assunto e ameaçam falar ao mesmo tempo, raros são os que se prontificam: fale primeiro, por favor. Ora, falar antes ou depois em nada vai alterar o rumo do discurso, se o que tiver a expor realmente for de valia. Agora, o problema é esse. Muita merda é dita também.
Ouvir: verbo pouco conjugado. Aliás, quem sabe diferenciar de escutar? Também não adianta fazer com que reine o silêncio e não prestar atenção, deixar as palavras apenas passarem por você. Mas, ouvir tem uma gama imensa de significados e você tem que começar treinando consigo mesmo. Ouvindo o seu interior, dando voz a seus anseios, ressoando as palavras de sua consciência. E é muito, muito difícil apenas ouvir. Ouvir sem emitir julgamentos, sem pensar enquanto ouve, sem ficar organizando a resposta, apenas ouvir.  E eu vou citar apenas 3 argumentos de porque ouvir vai te fazer mais sábio:
- A pessoa poderá estar discorrendo sobre algo que ela saiba mais que você, e você pode aprender com isso.
- A pessoa poderá discorrer sobre algo que ela acha que sabe, e vai passar por ridícula por você (Esse também é um imperativo para quem gosta de contar vantagem sem conhecimento verdadeiro).
- Às vezes, ela só precisa desabafar. Não quer nem precisa ouvir nada, só precisa ser ouvida.
E é muito bom guardar um pouco do que tem, sabe? Não é todo mundo que precisa saber o que você pensa disso ou daquilo. As pessoas nem imaginam que você pode ser expert em um assunto ou um gênio, naturalmente. Ninguém sabe tudo de você, e muita coisa não tem que ser sabida mesmo. Também tem gente que pensa diferente de você, e ouvir, apenas, vai te poupar de um conflito desnecessário. Ouvindo um problema de outra pessoa, vai refletir sobre suas próprias limitações e, por vezes, encontrar soluções pra ela que também se aplicam a você. Ouvir um idoso, com suas histórias, vai fazê-lo sentir-se respeitado, digno, pois que as pessoas pouco se lixam para as coisas incríveis que eles têm a contar. Ouvir uma criança é como voltar a um reino mágico e sentar um pouquinho mais perto de Deus. Ouvir o silêncio, que sempre é resposta, pois muito poucos têm a sapiência de perceber a paz nos mares mais revoltos. Ouvir os pássaros, ouvir a chuva, ouvir o próprio coração e ouvir quem diz amar. Ouvir. Verbo transitivo direto. Ouça. Como as letras das canções que você gosta, todos têm sempre muito a dizer. Vai depender do seu filtro, aprender alguma coisa com eles. Mas, não vai saber se não puder ouvir. Ouça.

2 comentários :

Chico2010 disse...

Isso me lembra a noite de sábado e outros momentos em que interrompo as pessoas...hahahaha

Tenho uma grande dificauldade, mas me criei em uma familia onde todo mundo ouve e fala ao mesmo tempo e todo mundo se entende...desenvolvi essa capacidade de falar e ouvir ao mesmo tempo, mas sei que não se torna tão agradável...há momentos e grupos que não dão brecha para sermos ouvidos, e isso é um tanto quanto proecupante, e enquanto a humanidade não souber usar proporcionalmente a boca e os ouvidos, muitas rusgas irão surgir, ou muita coisa bela deixará de ser dita ou ouvida...

Kelly Phoenix disse...

Hum, eu sou uma dessas pessoas que gosta que cada um fale de uma vez... Embora, às vezes a ansiedade seja muito grande para desembuchar o que tem de ser dito logo... Mas, a falta de paz que vozerios me proporcionam é non-sense, por isso meu criticismo.

Postar um comentário