About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Não me explica


Me explica por que você vem tentando inexplicavelmente buscar explicações para o inexplicável, ah, aliás, não me explica... Por que atribui adjetivos, nomes, finalidades, conceitos; porque tenta pintar com tintas das quais a procedência é muito duvidosa as realidades que não têm explicação, principalmente aquelas que acontecem aí dentro...

Você já contemplou o pôr-do-sol?
Tem certeza?
Quando você contempla o pôr-do-sol, deve apenas contemplá-lo; não deve trazer nenhuma palavra à cena, porque com elas vêm toda a sua experiência passada e o que você construiu em torno do termo. Se ao vê-lo você pensar “belo”, toda carga depositada ao longo das suas aprendizagens nessa simples palavrinha vai se instalar no pôr-do-sol e isso vai quebrar a magia que é apenas a contemplação. Então, não me explica. Não me explica o que é o amor, o que é a saudade; não tente me explicar com suas frases pobres o que é o perdão e porque você sofreu tanto assim. Não explique a você mesmo as mil razões para não gostar de uma pessoa e a nenhuma razão que te faz gostar dela; não explique ao mundo que você está apaixonado ou magoado; não explique ao espelho que seu sorriso está tão belo hoje... Sim, nós viemos tentando explicar há um longo tempo... Explicar o inexplicável só faz com que reduzamos às coisas ao obtuso palavreado, nunca questionado nem estudado etimologicamente; que tomemos emprestados verbetes alheios para que mostremos a quem não se importa todo o inexplicável de buscar explicações... Não me explica. Nem tente explicar pra você mesmo.

2 comentários :

Luan Cruz disse...

Explicar é da essência do homem, aliás, não só explicar mas também reclamar, falar e como falam, mas é "tudo" vazio, pq não se conhece realmente aquilo que está se falando. Mas me pergunto, pode ser "essa" uma forma de comunicação? o que seria dos filosofos sem as suas explicações? Quem sabe esteja na forma de como dispomos das palavras ao tentar explicar esses momentos únicos.

Phoenix disse...

Nem sempre podemos explicar, o mundo das palavras é muito limitado. Sensações, sentimentos, momentos... nada pode se enquadrar na singeleza do mundo das letras. Mas eu acho que é isso que nos faz sentir...Sempre podemos questionar, mas nem sempre responder.

Postar um comentário