About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Os "solteirões"


O que te vem à cabeça quando eu falo a palavra “solteirão”?

Eu sei a resposta. E vou te convencer a, pelo menos, ponderar o assunto.
Já parou pra pensar como é engraçado o pré-conceito que temos com aquelas pessoas que nunca se consorciaram em matrimônio? As mulheres são vistas como “tias”, “encalhadas”, e os homens vão de infelizes a pederastas. Na hora de dar o título, a coisa é tão automática que ninguém para pra pensar que ter ficado sozinha pode ser uma escolha da pessoa. Ora, o que é um casamento, afinal? De que vale o perfume preso em um frasco? (Se quiser saber o que eu penso a respeito, leia dissensões sobre o casamento). Então, mais vale casar-se e ser infeliz que ter a inocente idéia de passar os dias solitários? Aliás, quem disse que quem não se casa é solitário? Pode acontecer de algumas dessas pessoas possuírem mais amor que quem se casa, concorda?
Quase ridículo ver garotas de 18,20 anos encherem a boca pra falar: meu marido. Casamentos que se associam muito cedo raramente valem a pena (nunca uma expressão fez tanto sentido!) e a maioria das pessoas que permanecem juntas é por conveniência, filhos ou algum outro interesse ou implicação. É uma sociedade onde quem tem 25,27 anos e não possui uma vida “afetiva” solidificada é apontado; onde isso será questionado até mesmo em passíveis contratações de emprego (agências de recursos humanos confirmam que quando o candidato a uma vaga tem idade superior a 30-35 anos e é solteiro e sem vínculos “amorosos”, sua socialização é posta em exame e esse é um fator que pode comprometê-lo na disputa pelo trabalho); e prejudicará a imagem da pessoa, quer ela se importe com isso ou não. E tudo por uma escolha diferente.
Casamento é apenas um contrato social. Assinar seu nome em um papel lhe garantirá alguns bens, mas jamais lhe dará a segurança do sentimento do outro. A verdadeira aliança é a do coração. Ficar com alguém sem amá-lo (a) é tirar a oportunidade de que essa pessoa seja verdadeiramente amada. O mundo seria bem mais bonito se todas as pessoas consultassem apenas o próprio coração. Essa matemática tá errada, 1 infeliz + 1 infeliz ≠ felicidade. Solidão com solidão não dá boa coisa, não! A verdade é que, mil vezes antes só, do que mal acompanhado. Mesmo que seja “bem acompanhado”, sem sentimento isso não vale ao chão que pisa! Por essas e outras, não julgue aqueles que chamam de “solteirão”, de “tia”. Se for fiel a você mesmo, há alguma probabilidade de que faça parte do time deles.

2 comentários :

Chico de Sá disse...

Fazia tempo que eu não vistava teu blog (que vergonha!!!), mas já vi que tinha um texto melhor que o outro, entre os quais me identifiquei com esse, como era de se esperar. Antigamente eu me revoltava com isso e hoje até dou risadas, mas quando uma pessoa fica sabendo que sou um "solteirãso", chega a ficar preocupada, e não foram poucas as que me trataram ou como coitado ou como retardado. Mesmo sem pedir, aparecem os conselheiros de quinta categoria dizendo como devo fazer para pegar algumas mulheres, sempre seguido da minha resposta: "Eu não fico com ninguém por que eu NÃO QUERO, se eu quisesse eu faria ainda melhor que você." .Mas não, consideram impossível que um homem viva sem sexo, já ouvi muito comentário dizendo que deveria achar logo uma mulher pra casar por ue iria ficar velho e sozinho e não sei mais o que...Um preconceito dos grandes. Mas o que mais vale é a paz com a prórpia consciência, e isso carrego com toda certeza...

bjos

Phoenix disse...

Hahah, que mara, não consigo mais logar pra responder os comentários... '-'
Bem, mas então, solteirão aos 21, ahsushu?
Agora, solteiro por opção, aí sim. De todo modo, que adianta ter alguém do lado sem essência, sem verdade? Mentir pra si mesmo também deve cansar. Concordo com vc, antes só que mal acompanhado...

Postar um comentário