About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Você tem namorado (a)?


- Tá bom, bebê? É...?? Que fofo!! Já papou? É? Já tomou banho?

Enquanto minha colega falava ao celular ao meu lado com uma voz de chorinho de neném, eu me perguntava se o yorkshire tinha aprendido a atender o telefone. Sim, pensei, eu não falo assim nem com o meu cachorro.
- Meu namorado – fechou o celular e sorriu contente.
- Hum. Ele é retardado? – sorri de volta. (Ou será que você é?, pensei comigo).
- O quê?
Antes que acabasse entrando em encrenca devido à grande língua e ao cérebro sempre bem disposto, o professor entrou na sala e ela esqueceu ou fingiu que esqueceu o assunto (mas com certeza não esqueceu que ele era retardado, porque na saída daquela aula a vi atendendo novamente daquele jeito). A experiência serviu no mínimo para que eu me prestasse a algumas reflexões. Que tipo de homem fica com uma mulher dessas? (Retardados?) E olha, não a recrimino não, recriminaria o cara! Meu Deus, como alguém suporta ser tratado assim? Mais: o que é um namorado? Realmente pus-me a meditar que o sentido equivocado que a palavra vinha recebendo a um já bom tempo nada tinham a ver com o significado original do termo.
Na.mo.ra.do subst. Homem ou rapaz a quem se namora.
Hum. Bom. E o que é namorar?

A todo o momento, as pessoas estão namorando. São ficas de semanas ou são flertes ou transas, ou beijos e agarramentos ou paixões ou desejos, mas todos chamam de namoro. Vejo garotas usando pra lá e pra cá: o meu namorado, ou rapazes distraídos mencionarem: a minha namorada, mas não sinto nenhuma emoção na voz, nos olhos; não vejo mais nenhum brilho no olhar quando as pessoas falam isso, não vejo um sorriso bobo brotar na cara, nada: apenas namorado, namorada, mais alguém, enfim, alguém que estou catando, me envolvendo, me esfregando, como quiser chamar.
- O trouxa do meu namorado não gosta disso – já vi uma garota dizer à amiga e também um rapaz me olhar insistentemente enquanto eu passava e ele beijava uma menina - de olhos abertos.
- Ligeiro antes que minha namorada volte – falou um garoto ao pegar rapidamente o telefone de uma periguete enquanto a “namorada” havia ido ao banheiro.
Meu amigo namorado, li em depoimentos de Orkut de pessoas que nunca tinham se visto e “minha namorada preferida” em subnicks de crianças de 12 anos.


Muitos não vão concordar ao ler e eu já estou acostumada com os silêncios e as críticas, porque sou a rainha da polêmica. Mas quase ninguém hoje em dia namora. E não namoram porque, como já disse o Drummond há muitos anos – comprovando que algumas coisas nunca mudam – namoro é a mais difícil das conquistas, pois isso é muito mais que uma palavra, necessita de tanto e jamais poderia ser descrita. Namorar é ter sintonia, é esperar ansiosamente pelo beijo, é quando todas as outras pessoas deixam de existir. Namorar é muito mais que química e física, é metafísica, não é segurar na mão, é agarrar todo o seu mundo em cinco dedos. Namorar não é prosa, é poesia; não é beijo, é alma; não é sexo, é amor. Namorar exige muito, exige mais; namorar é lembrar de repente, do nada, ao acordar de madrugada; namorar é sentir o peito bater com alegria quando lembra o nome, o cheiro; é ter arrepios de saudade e preparar surpresas sem nenhuma data especial. E quando se tem um namorado, um dia basta para se amar pra sempre; um minuto basta para lembrar uma hora; uma ausência é presença ainda que não haja distância. E quando você tem namorada, você é dela e esquece o resto, sabe que é um mundo de escolhas e sua escolha é ela e mais ninguém. Em um namoro de verdade, não se deseja entregar-se a outra pessoa que não seja aquela que faz morada em seu coração. Não tem namorado quem não gosta de falar do próprio sentimento, ficar olhando o enigma do outro dentro dos olhos dele, abobado de felicidade pelo fulgor do amor. Não tem namorado quem gosta sem amar; quem curte sem adorar; quem adora sem aprofundar. E namorar não tem nada a ver com fazer voz de chorinho de neném, ficas compridos, sexo com compromisso ou alguém para apresentar para os pais. Não tem nada a ver com ficar de “meu namorado” pra lá e pra cá nem com “a minha amada namorada” (que eu não amo, mas namoro só pra dizer que tenho alguém e essas coisas, sabe). Namorar exige sonho e loucura, entrega e profundidade, quente, quente, quente, nada de morno que te vomito. Namorar é um jardim de margaridas onde todas as pétalas são bem-me-quer , paz e bolo de chocolate, é sorrir com dor de dente e esquecer que amanhã tem prova de matemática. Namorar é achá-la linda naquele vestidinho de chita florido; é achá-lo especial com aquela camiseta surrada e toda suja de tinta porque ficaram pintando o quarto dele a tarde toda e deram muita risada com isso. É achar divertido aquele jogo que odiava quando está competindo com ele; é roubar uma flor daquela vizinha brava para dar para ela; é vestir a camisa dele e ele te achar linda por isso. Namorar não tem nada a ver com beijo na balada, com festinha chocha, com dia 12 de junho, com flores no aniversário. Namorar não tem nada a ver com a garota mais bonita da escola nem com o rapaz mais “bombado” do pedaço, nem com carro da hora nem com alguém legal (só) para conversar. Namorar é como um mergulho, um mergulha no outro, ambos então submergem e afogam-se em seus seres. E agora eu te pergunto: você tem namorado (a)? 

7 comentários :

disse...

Se alguém não concorda com você neste ponto, é porque não quer concordar... Talvez para não ter que encarar a realidade...

Chico de Sá disse...

Fazia um tempinho que eu não comentava por aqui, e vi que haviam postagens que ainda não havia lido, claro, umas melhores do que as outras. Mas essa em especial é fantástica, conseguiu traduzir certinho o que se passa nas relações superficiais que chama por aí de namoro....ou seja, a IMBECILIZAÇÃO DO NAMORO...isso renderia um post lá no meu blog, mas eu apenas copiaria teu texto..hehehe
BJO

Thalita disse...

Ameii o texto!!!! e tem tudo a ver com o meu namoro!!! Namorar vai além de qualquer razão!! esta em estinçao namoros assim!! lindo o texto!!

Kelly Phoenix disse...

Obrigada, Thalita, e fico muito feliz que o seu namoro seja DE VERDADE! Valeu, guria!!

moniquinha disse...

Bom,acho que tudo o que você falou sobre o que poderia ser um namoro de verdade pode ou não acontecer com o tempo de convivência entre suas pessoas.So o tempo ira permitir que ambos se conheçam melhor,ambos criem intimidades e o sentimento floresça e o que antes era apenas identificação passa a ser tambem admiração e por fim um grande amor.

O Mago Castanho disse...

Zygmunt Bauman teria umas palavrinhas a dizer sobre isso hahaha. Quase ninguém mais quer se relacionar de verdade, criar laços firmes, prender-se, mergulhar no outro. Hoje em dia, para ser amigo ou namorado de alguém basta apenas mudar o status do facebook. Com a mesma facilidade que se "add" alguém, pode-se bloquear ou excluir esse alguém. Sem problemas e sem embaraçamentos. Esse comportamento "frio" típico de rede social está, de alguma forma, sendo refletido na vida física. Amor líquido, para uma modernidade líquida.

Valeu pela visita, a propósito! :)
Abração, Phoenix!

Pedro di Andrada

Kelly Phoenix disse...

Complemento perfeito para o exposto no texto! Abração, querido!

Postar um comentário