About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Vitimismo

Já parou pra pensar que é responsável por tudo quanto lhe acontece? Ah, não? Não aceita isso? A sociedade não prega as coisas desta forma, não é? Somos sempre vítimas, coitadinhos, infelizes. O maior e o menor, o poderoso e o subordinado, o homem forte e a mulher frágil. Isso é fomentado, sobretudo, pela igreja. Quanto mais vítimas e coitados no mundo, mais adeptos. Muitos ainda acreditam que a punição e o sofrimento redimem e nos levam até o reino dos céus. E a vida é injusta mesmo, privilegiando alguns em detrimento de outros. Somos vítimas. Somos todos inocentes.
Infelizmente, a maioria das pessoas está perdida em condicionamentos e crenças sem valor algum. Ninguém quer olhar para dentro de si e mudar. Querem que o outro mude, que o mundo mude quando o trabalho de mudança é individual e intransferível.
A vida não pune ninguém. Isso é a visão dos cristãos. Todos eles carregam a culpa, o medo, a punição. Acham que Deus pune, olham para as forças da natureza como se elas fossem seus próprios pais. Aprenderam a olhar Deus como os pais e confundiram tudo.
Não há culpados nem vítimas. A dor e o sofrimento atrasam nossa jornada evolutiva. Todos somos partidários, responsáveis, atraímos as situações em nossas vidas, sempre por meio do livre-arbítrio. É nossa maneira de pensar e agir que nos atrai determinadas situações na vida. Sentir pena de si mesmo é julgar-se incapaz de mudar os fatos ao redor. Se o que outro fez o atingiu, foi porque você assim permitiu; na verdade, atraiu isso para você. Tudo o que fazemos, de um jeito ou de outro, volta para nossa vida. Tudo o que disser, fizer, vibrar ou sentir, seja por você ou por outra pessoa, voltará para você na mesma intensidade.
Há pessoas que se sentem vítimas de toda e qualquer situação que não lhes seja favorável. Enquanto não largam o vitimismo, reagem e tomam posse de si, jamais conseguem mudar seu destino. Se atrai o que se precisa. Não é justo crucificarmos uns e colocarmos outros na posição de vítimas. Cada um vive o que precisa viver, age conforme suas possibilidades, dá o melhor de si. Ninguém é maltratado ou injustiçado e todos seguem os destinos que escolheram, planejaram ou correram o risco de vivenciar. Não há vítimas nem algozes na vida, mas almas igualmente necessitadas de amor, que lutam para avançar em sua jornada. Tudo é regido por afinidades, atraímos para nós pessoas e situações iguais a nós. No mundo não há vítimas nem injustiçados, mas o que cada um faz com seu poder de escolha.

0 comentários :

Postar um comentário