About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

I’ll be right here waiting for you…


Essa música de Richard Marx sempre me transporta a outro lugar e isso acontecia antes mesmo de ter alguém para lembrar. E acho que a resposta é muito simples, embora muita gente não perceba ou não queira admitir: todos nós esperamos por alguém. Pode não ser em um sentido literal, pode não ser em um sentido romântico; pode ser alguém de nossas lembranças ou simplesmente alguém que não conhecemos e nem sabemos quem é. Quem já passou por uma grande dor de separação, como uma morte, por exemplo, por mais que siga preceitos religiosos de que a morte é o fim de tudo, em seu íntimo alimenta a esperança e segue esperando pela pessoa, agarrando-se em sonhos e recordações (mesmo que lute com isso), pensando que se ilude nessa saudosa espera. Há os que esperam alguém que se perdeu, mas deixou um miasma ou uma promessa de reencontro e há, ainda, os que nem sabem por quem esperam... Nada disso tira a beleza dessa espera. Triste mesmo é a insatisfação de passar a vida esperando por alguém que não vem... Existirá?, o coração pergunta. Renova as baterias, mas sempre sabe se o que espera chegou ou não...
Para muitos, essa espera nunca termina e, mais infelizes, são aqueles que não esperam ninguém. Não é que seja ruim se contentar com o que se tem, uma vez que a característica da evolução é a busca. O que deprecia é que estes não conhecem o sabor da realização, do contentamento daquilo que pode ser o que há de mais caro ao coração. E não ter essa sensação já os faz algo mais pobres, dada a plenitude de tal concretização a nível de sublimação amorosa...
Wherever you go
Whatever you do
I will be right here waiting for you
Whatever it takes
Or how my heart breaks
I will be right here waiting for you…
Ainda que encontre, quero esperar. Ainda que me encontrem, quero que me esperem. Há reinos ditosos para o coração e o findar de uma espera dorida constitui um deles. Essa doce expectativa não te será um consolo de todas as horas?

0 comentários :

Postar um comentário