About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

domingo, 25 de setembro de 2011

Homenagem a Davi Mota Nogueira


Telma Lobão - 23/09/2011

Garoto que eu não conheci, mas que feriu minha alma com a sua história, pois você foi apenas mais uma vitima desse mundo de tanta insensatez. Por mais de 20 anos fui educadora, e se tivesse sido eu sua professora você jamais teria atirado em mim e hoje estaria vivo, isto porque ao contrário da maioria dos professores, meus alunos preferidos nunca foram os brilhantes e quietinhos, mas os perseguidos, humilhados na escola por diretores, colegas e demais professores. Tenho certeza que teríamos sido grandes amigos, como fui de muitos alunos que tive e mudei suas histórias.
Não pode um educador permanecer omisso perante aquilo que acontece a um aluno, ainda que tenha que punir todos os alunos da escola por conta de perseguição a um só, eles devem ser punidos. Porque é o ‘um’ que completa o todo.
O professor não é juiz para julgar o aluno, o professor está ali para ajudar a guiar o aluno no caminho da vida, não para ser uma pedra no caminho dele a ponto de despertar seu ódio, como aconteceu com você e com tantos outros alunos nos colégios que passei como educadora.
Lembro de uma adolescente me perguntando: "profe, eu sou feia?" Respondi que não, que ela era uma moça muito bonita. Perguntei o porquê da pergunta e ela me respondeu: "um grupo de pagode me convidou pra ser dançarina e a diretora disse que eu sou horrível, ridícula, aí eu não aceitei." Aquilo me chocou, com muito esforço consegui apagar as palavras da diretora da cabeça dela e um mês depois não acreditei ao vê-la numa emissora de TV a nível nacional dançando. Do lado dela, um louraça, mas só ela aparecia.
Assim são os nossos educadores.
Davi foi apenas uma vitima da educação que é praticada nas escolas brasileiras. Ele não tentou matar o pai ou a mãe, o problema de Davi não estava em casa, estava na escola e era com a professora, que pela lei da vida deveria ser sua aliada, não sua inimiga.
Uma criança de apenas 10 anos de idade ser capaz de dar um tiro na própria cabeça para tirar a própria vida, imagino a que ponto de desespero você chegou!
É preciso que os educadores abram os olhos ou produzirão mais Davis nas escolas brasileiras.
Que Deus o tenha, e o conforte, que toda a dor e sofrimento tenham acabado e que você seja muito feliz.

Nota: a ambientalista Telma Lobão não conheceu o garoto Davi, mas como educadora que foi de escolas públicas, particulares, supletivos, de concursos para professores do estado e para a polícia militar, se sentiu chocada na alma com a sua história.


SEÇÃO EXCEPCIONALMENTE


Na secção “Excepcionalmente”, apresento textos de outra autoria, mas que calam fundo em meus valores.

13 comentários :

Anônimo disse...

Eu tb me sinto como vc, nao o conhecia mas fiquei muito triste, até chorei. è muito triste.
Vamos ver o que a professora fala depois que se recuperar.
O namorado dela fala mau da criança, mas amiguinhos de classe negam... ke horror, será ke o namoradoa esta mentindo?

Anônimo disse...

Agora que morreu virou um anjo... Belo anjinho que cinicamente mentiu pro pai quando interrogado se pegara a arma. Só faltava mesmo um texto desse colocando a culpa na verdadeira vítima, a educadora que estava no exercicio de sua profissão.

Anônimo disse...

Sinto muito discordar. Que bom que a autora seja alguém com tamanha empatia, mas sejamos sinceros: nada justifica uma criança que atira tão certeiro aos 10 anos de idade. Se esse menino sobrevivesse poderia nos deixar ainda mais pasmos com suas declarações. Sò Deus sabe que tipo de personalidade esse rostinho doce escondia.

Kelly Phoenix disse...

Não acredito em vítimas nem em carrascos. Não acredito em anjos nem em demônios. Mas, devo lembrar que viemos de um sistema educacional defasado. Se a professora não era culpada, santa tampouco, pois de graça ninguém odeia ninguém. Louvo o trabalho dos educadores, que são tão poucos, mas mais raros ainda são aqueles que desempenham seu trabalho por AMOR À CAMISA, por AMOR AO ENSINO e não pelas "benesses" de férias de 3 meses e outras pequenas recompensas que talvez valham o esforço. Quase todos os professores que conheço reclamam do salário. Quase todos meus conhecidos que cursam ou cursaram alguma licenciatura na faculdade reclamam ou se envergonham da profissão. Então, por que seguir com isso? Óbvio que o menino não é inocente, pois deu ouvido aos instintos que o assediaram, porém, gente, vamos combinar, um lado totalmente bom e outro totalmente mau é aquilo que os filmes e novelas insistem em vender. Na vida real não é assim, isso é um fato. Ninguém é inocente ou todos somos inocentes. Depende dos olhos de quem vê.

Agradeço os comentários, fiquem à vontade para se posicionar.

Anônimo disse...

Ridiculo vc falar q se vc fosse a professora ele nao atiraria...Se acha melhor que os outros é?

Anônimo disse...

Mas vc é uma delicia ;D

Anônimo disse...

Uma coisa me chamou atenção.Em entrevista ao fantástico o irmão de menino disse que ao ouvir o tiro pensou: meu, acabou. O que teria acabado?Pq prontamente ele chegou a essa conclusão? . Uma possivel premeditação parece estar nas entrelinhas e aí minha filha não tinha professora perfeita pra se salvar dessa.

Kelly Phoenix disse...

Gente, devo reiterar que esse texto NÃO É DE MINHA AUTORIA, EXCEPCIONALMENTE. Tomei a liberdade de publicá-lo aqui porque achei interessante o ponto de vista exposto, de que o garoto podia sofrer algum bullying ou perseguição, afinal já vi isso de perto. Reitero também que apesar de concordar com boa parte do texto, seu conjunto NÃO REPRESENTA MINHA OPINIÃO PESSOAL, que prefiro deixar em off, considerando-me no direito de mantê-la, como todos têm o mesmo direito. Não sou professora, sou publicitária e escritora. E não me considero uma delícia.

Obrigada pela visita, voltem sempre.

Anônimo disse...

Qunatos comentários horríveis. Ele era apenas uma criança. Respeitemos sua família!

Anônimo disse...

SE PASSARÃO ALGUNS MESES! MAS SEMPRE FICO A PENSAR O QUE TERIA ESTÁ CRIANÇA PARA FAZER ISTO. PENSO QUE ELE ERA MUITO PERSEGUIDO. E QUE A DOR DELE ERA NA ESCOLA E NÃO EM CASA. JÁ FUI MUITO PERSEGUIDA E SEI BEM O QUE É. PENSO QUANDO SEU IRMÃO FALOU ELE LOGO PENSOU QUE TANTO ERA AS PERSEAGUIÇÕES QUE AGORA ELE O DAVI ESTARIA EM PAZ.

Anônimo disse...

Que saudade, ele era o meu melhor amigo.... estudamos 2 anos na mesma sala.
Muito triste :(

Kelly Phoenix disse...

Sinto muito...

Myrian disse...

Que opinião mais julgadora. Vc sabe se ele não tinha nenhum transtorno? vc viu como era a educação dele para querer colocar a culpa na professora dele? Nunca li tanta baboseira sentimentalista com tanta opinião e sem embasamento algum. No dia que der de cara c um psicopata quero ver esse seu sentimentalismo todo dentro de um caixao. Nenhuma pratica educacional leva a uma loucura dessa se a pessoa já nao tiver predisposição para a loucura. Ja pensou? Na época da palmatória não sobraria munição p atirar... Cresça, não seja tão medíocre!

Postar um comentário