About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Não force nada em você


Assinale o que você acha mais natural:

(  ) Gordo se empanturrando de salada.
(  ) Mulher hiper patricinha pagando de homem.
(  ) Pessoa mediana fingindo que é crânio.
(  ) Nenhuma das alternativas anteriores.

Tá bem, não vamos ser hipócritas: apesar de “qualquer” coisa poder ser natural de acordo com o olhar que depositamos sobre ela, a verdade precisa ser dita: algumas coisas simplesmente destoam. E, antes que me julguem preconceituosa, nazista ou sei lá o quê, explico: os exemplos acima não são fatuais e serão esclarecidos ao longo do texto. Foram apenas os mais cotidianos que encontrei em meus círculos sociais e também os que, observei, parecem mais forçados de acordo com a pessoa e a situação. Nada pessoal.
Vamos lá, pensa rápido: qual é a sua melhor habilidade? Pensou? Legal. E agora, qual seu maior dom?

TIC TAC TIC TAC TIC TAC TIC TAC...

Muitas pessoas responderam a mesma coisa que antes. Algumas mudaram a resposta, outras quebraram a cabeça e não conseguiram pensar em nada. Outras, ainda, resolveram que dom não existe. Vou desmenti-las.
Habilidades são aprendizados que dominamos de tal forma que ficamos hábeis naquilo. Podemos ser hábeis em inúmeras coisas e podemos confundi-las com dom (que alguns acreditam que não existe). Contrario-os dizendo que existe, pois só quem tem um dom admite sua existência. Todos que renegam, em geral, são pessoas sem nenhum talento nato, mas que souberam se desenvolver de tal forma em determinadas atividades que acreditam que qualquer pessoa com um pouquinho de esforço e força de vontade é capaz de fazer o mesmo. O dom é algo que nasce com a pessoa e não pode ser ensinado. Claro que qualquer curso de música ou de fotografia vai te dar a técnica, mas não vem de brinde o apuro musical, o olhar diferencial, o compor aos cinco anos de idade, essas coisas. Aceite essa verdade e seja feliz.
“Não force nada em você” – não devemos forçar as coisas na gente. Se não conseguiu emagrecer em seis meses de regime é porque está indo contra a sua natureza e isto só está te tornando infeliz. Por que quer emagrecer: é um desejo real ou está movido por padrões, opiniões alheias e comparações? Enquanto estiver lutando com a sua natureza, não vai conseguir o que quer. Se não consegue aprender a tocar bateria, por que não dar um tempo e tentar outro instrumento? Será que é isso mesmo que deseja? Se o desejo for da sua alma, nada vai impedi-lo (a). TUDO O QUE A ALMA QUER A GENTE CONSEGUE.
- Ah, Phoenix, quis tantas coisas na vida e nunca as tive...
É que não eram para a sua alma, deviam ser desejos da mente. As coisas só são naturais quando elas fluem.
Isso não é um incentivo para desistir, parar no meio do caminho e deixar pra lá. É só um convite à reavaliação. Muitas vezes ficamos insistindo um longo tempo em uma coisa que não é pra gente e tudo dá errado! Um emprego, um relacionamento, um sonho que não se realiza, um aprendizado que trava – quando estamos indo contra a nossa natureza a vida não ajuda, é como estar numa enxurrada nadando contra a corrente. Espere! Nosso corpo, nossa vida, eles sabem a hora certa de começar. Não adianta nada ficar se forçando.
Conheço uma garota que adora pagar de homem. Quer entender de rock pauleira, de futebol, de fórmula um, de jogos masculinos, de coçar o saco. Adora estar metida entre os machos, como se fosse um deles. Só que isso soa falso nela. Por quê? Porque se vê que ela não andou experimentando as coisas, mas lendo sobre elas. Para uma garota moleca, não é difícil reconhecer outra. Uma leitora moleca sabe que, por mais femininas que sejamos, alguns traços são inconfundíveis e não nos abandonam ao longo do tempo. O que nossas lembranças marotas escondem, as cicatrizes têm o prazer de contar! Mas, a questão aqui não é a ausência de cicatrizes. Eu mesma, as principais estão abaixo dos cabelos (hehe!). Todavia, é sabido que uma mulher patricinha e arrumadinha demais ecoa como uma moleca artificial. Molecas não são frescas com comida, com muros, com barros, com hematomas, etc. Afinal, molecas são molecas! Qualquer estilo forçado, seja pela razão que for, denuncia-se por si próprio aos olhos de quem tem experiência. Ler sobre algo te dá a teoria, mas é ingênuo quem pensa que teoria e prática condizem. Posso até aprender a jogar todos os jogos dos homens, falar as gírias deles, estar sempre na companhia deles (sendo isso aprazível a eles ou não). O que não posso é me iludir que o fato de mentir aos outros não estará enganando a mim mesmo. Porque mais hora menos hora, não vou me sentir confortável no mundo falso que eu criei.
E, afinal, eu nunca entendi por que após mudar de escola ou entrar na universidade ou qualquer mudança de círculo mais significativa uma pessoa resolve fugir totalmente de si mesma e assumir outra personalidade. Muitas vezes, não é nem personalidade, é personagem. Torna-se um sujeito de jeito de ser tão forçado que fica evidente que a pessoa nunca foi aquilo. Alguns contam histórias tão incrivelmente mirabolantes que tenho vontade de lhes oferecer um espaço no blog.
Claro que uma pessoa que resolveu que quer emagrecer vai acabar adotando hábitos ditos mais saudáveis e não é condenável que passe a apreciar mais o verde. Contudo, seria bem mais legal se ela se apercebesse de que mudar radicalmente não é a solução e de que em nada que a natureza atua, ela o faz bruscamente. Obrigar o gordo acostumado a três, quatro pãezinhos no café da manhã a comer apenas meio é ser quase cruel, pois na maioria das vezes o coitado sucumbe por desistência! Se torna um ritmo de vida frustrado, insatisfeito e eu continuo insistindo que é estranho ver um gordo com o prato repleto de salada. Lembra bichos herbívoros, sei lá, vacas ou dinossauros...
Mas, o recado tá dado: não force nada em você. Não se force a estudar o que não quer saber. Não se force a ser o que não é, o resultado vai ser artificial. Não adote uma postura forçada, todos vão notar. Não assuma um personagem num ambiente novo, vai ser um desastre! E não pense que vai ser feliz sendo anti-natural – em algum momento a consciência vai te cobrar, nem que seja no recanto gostoso do seu travesseiro.
Não force nada em você. Fica a dica.

0 comentários :

Postar um comentário