About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

sábado, 31 de dezembro de 2011

16 coisas para fazer em 2012


1-      Ir a uma praia que nunca fui
2-      Criar uma planta
3-      Tomar um banho de chuva
4-      Fazer uma boa ação a alguém
5-      Ouvir mais que falar
6-      Viver uma louca paixão
7-      Escrever cartas
8-      Comer Ferrero Rocher
9-      Me presentear com um ovo de Páscoa gigante (da Cacau Show!)
10-  Correr kart
11-  Mandar (e receber) flores
12-  Pintar uma tela
13-  Cozinhar para amigos
14-  Conhecer um templo budista
15-  Viver um grande amor
16-  Andar de Jet ski.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Perdida em mim mesma


... Muitas vezes, as reflexões me apanham nas horas mais inusitadas e me impedem de registrá-las.
31/12/10

... Só que hoje só posso sentir... Palavras são insuficientes. Sinto e percebo coisas sobre as quais não sei escrever...
31/12/10

Os sentimentos traduzo em música e poesia; os acontecimentos marcantes já não me vejo em condições de descrever. Não com a fidelidade de fatos e emoções. Aprendi a gravar na memória somente o que me é especial.
05/01/11

Às vezes, sinto que me chutaram do céu ou qualquer que seja o local onde estava antes. Um bico na bunda e um recado:
- Te vira!
15/01/11

Já sentiu ódio de alguém na mesma medida que acreditava amá-lo?
28/01/11

Me sinto em uma gaiola muito suja, exposta em um lugar de onde posso ver o céu e sonho com ele, mas não tenho a menor noção de como atingi-lo. Ou, se um dia, eu vou... Tudo como outros pássaros no céu que contemplo e jamais poderei alcançar...
12/03/11

Eu só queria entender...
Queria entender porque o dia está tão lindo e eu não posso estar com você. O céu está azul, a grama está verde, a luz está vívida e há borboletas e pássaros por toda parte; há algum ruído de grilos e é nesses dias que a solidão mais me dói. Dói não saber porque (não) aconteceu; se um dia saberei, se em algum momento poderei olhar nos seus olhos e entender. Li tantos livros, vi tantos filmes, mas nada me respondeu...
19/03/11

A solidão ou as dúvidas existenciais que se acumulam como as células de um câncer têm me feito escrever mais. E venho hoje justamente para avalanchá-las, sem a intenção real de obter qualquer resposta, porque realmente não sei se existe uma...
30/04/11

É impossível registrar com perfeição todos os pensamentos que nos acometem, são “espíritos livres”, tão rápidos e fugidios que, muitas vezes, antes de nos apropriarmos ou de entendê-los adequadamente já se foram sem deixar nenhum vestígio.
30/04/11

É como se alguma coisa me prendesse a essa cidade. Sinto que meu destino não é aqui. Mas, é como se atas e colas me segurassem nesse lugar que não sinto meu...
21/05/11

Todo esse papo de auto-ajuda é como pedir para um doente que se contorce de dor mentalizar que não dói...
07/06/11

Sei que sou muito mais rica que muita gente cheia da grana por aí. Mas, às vezes eu me esqueço... E me esqueço que sou donzela guerreira... Que nada para mim nunca veio fácil... E não seria agora que iria mudar...
09/07/11

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011


O que é teu, sempre foi teu.

O que é pra ser teu, é teu desde o começo.

Há coisas tuas nas mãos de outros, por agora. Serena e confia.

Aquilo que se perdeu, não era teu.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Não és o meu Romeu


Tenho essa mania metódica de “conceituar” sentimentos, mas na verdade é uma tentativa desesperada de entender a força e intensidade deles por certas pessoas; de tentar compreender porque nos é negado esse poder de escolher quem devemos ou não amar... Poder que não é decidido pelos laços de sangue, nem pela distância nem por nada nesse mundo; poder que não se dobra a obstáculos nem se curva a todas as vicissitudes, o incrível poder do amor...
De todo modo, eu acho o magnetismo de gostar de alguém tão bonito... De pensar em alguém ao dormir e ao acordar, as borboletas no estômago, sabe, todas essas coisas... Mas é muito mais bonito quando não se vive sozinho... Ninguém pode ser feliz só na idealização... E eu também oro por você, aprendi a gostar de ti, a te aceitar sem condição e és mesmo um dos meus amigos mais leais em muitos aspectos. Aprendi a aceitar teus defeitos, a te ajudar a sorrir quando querias chorar, te ensinei a fazer poesia e aprendi contigo a desfazer estereótipos; a ver qualidades nas pessoas diferentes de mim, a ter outro prisma pra tanta coisa... Mas, não aprendi a te amar mais do que a um irmão, um bom amigo; não aprendi a sonhar contigo nas minhas noites mais tempestuosas nem nas de festa... E se te digo todas essas coisas que te parecerão por agora tristes, é justamente para não acender em ti uma chama que não tenho a intenção de acalentar... E enquanto as palavras correm céleres pelo teclado penso em infortúnios se as deleto ou se aperto na tecla “send”; se te deixo claro tudo isso ou apenas as mantenho como uma certeza firme em meu coração, acenando para ti com canções falsas de esperança...

Sei que não me pedes nada em troca... Acredito, porque é o que me dizes... Mas, será que quando tu veres o brilho do amor em meus olhos incendiar por outra pessoa, vais entender de alma leve? Será que ao me ver beijar aquele que é minha vida, vai compreendê-lo e também amá-lo? E ao ver meu ventre inchado esperando o fruto desse amor, não sentirás raiva dele e desejarás seu inferno...? E terás prontamente estas respostas enquanto te formulo tais questões por agora? Em sua hipótese?

Confessas-me que me vê qual tua namorada em deleites de amor, mas é outro que vejo como meu namorado, ainda que ora esse espaço esteja vazio e eu não pense em ninguém; é a forma desse outro que eu vejo comigo... E ainda que estejamos ambos perdidos e iludidos em nossos vislumbres, no hoje é apenas isso que temos... Nenhuma promessa...

À minha maneira, escrevi a ti feito Julieta, mesmo sabendo que não és o meu Romeu...

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Não era amor



Amor NÃO É pura fixação, puro apego, paixão desenfreada sem o mínimo de equilíbrio emocional. Não confunda apego, dependência e carência afetiva com amor. Embora o mundo tenha evoluído em várias áreas, ainda somos analfabetos no quesito amor. Muitas pessoas têm uma vida afetiva tosca, pobre, cheia de problemas. Adolescentes aprendem a “pegar sem se apegar”, construindo uma vida de miséria emocional. Poucos são os que se sentem felizes, de fato, ao lado daquele (a) que afirmam amar. Muitas pessoas são dependentes emocionais. Elas acreditam que aquele que escolheram para amar será a sua tábua de salvação. Entregam o seu poder, a sua vontade ao outro. Muitos não têm nem dignidade. Preferem viver de migalhas afetivas e sofrer a largar a outra pessoa para ser feliz.
Não era amor, era EGOÍSMO. Se não podia libertar o ser amado, mesmo que fosse para ele (a) ser feliz ao lado de outra pessoa.
Não era amor, era PAIXÃO. Se percebeu o ridículo de seus atos apaixonados quando a ilusão projetiva desapareceu e só admirava no outro aquilo que recalcava em si.
Não era amor, era APEGO. Se esperava do outro exatamente aquilo que não se dava, sem jamais admitir isso para si mesmo.
Não era amor, era DEPENDÊNCIA. Se se anulou completamente em nome deste sentimento e acabou abandonado (a). Se investiu tudo no outro, acreditando que seria correspondido e acabou apenas reclamando do egoísmo alheio.
Não era amor, era IDEALIZAÇÃO. Se sonhou com um amor perfeito e pretendeu encaixar o ser amado nesse modelo, acabando por descobrir que cada um é como é e não temos o poder de mudar a ninguém.
Não era amor, era POSSE. Se o ciúme tomava conta do dia-a-dia, impedindo de ver o afeto que lhe dedicava, só fazendo ver as atenções que seu namorado (a) dispensava às outras pessoas caras na vida dele (a).
E, afinal, amar é reconhecer que nossas almas, são, na verdade, uma só. 

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Longa espera



Uma verdade que só saberia quando estivesse exatamente assim, ao lado dele. Deitados, frente a frente, com os braços para cima. Observando seus olhos, seu nariz, a boca... Sem nenhuma cobrança, nem do outro, nem de si mesma. Lindos, jovens, despreocupados. Independente da idade ou de tudo que tivessem vivido até ali. Relaxados a ponto de sentir o mundo em suas mãos e entender toda a leveza dessa sensação. Conjugada na ternura de uma longa espera.
E, de braços pro alto, observando seus olhos, nariz e boca... Seu queixo másculo, a docilidade em sua expressão, ela então saberia aquela verdade. Aquela verdade que, no íntimo, sempre soube. Mesmo ao longo daquela longa espera...

domingo, 18 de dezembro de 2011


Ah, se soubéssemos de quantas “últimas vezes

 a vida é feita...

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Alma Gêmea - (Emmanuel)


Alma gêmea da minhalma
Flor de luz da minha vida,
Sublime estrela caída
Das belezas da amplidão!...

Quando eu errava no mundo
Triste e só, no meu caminho,
Chegaste, devagarinho,
E encheste-me o coração.

Vinhas na bênção dos deuses,
Na divina claridade,
Tecer-me a felicidade,
Em sorrisos de esplendor!...

És meu tesouro infinito,
Juro-te eterna aliança,
Porque eu sou tua esperança,
Como és todo o meu amor!

Alma gêmea da minhalma,
Se eu te perder algum dia,
Serei a escura agonia
Da saudade nos seus véus...

Se um dia me abandonares,
Luz terna dos meus amores,
Hei de esperar-te entre as flores
Da claridade dos céus...

Poema do romance "Há 2000 anos", de Emmanuel, psicografado por Francisco Cândido Xavier.

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Conveniências...


Ai, ai, refletindo sobre isso, você diz que o problema aperta quando precisa ficar muito tempo sem ver pessoas, amigos e colegas... Ain, mas será mesmo? Será que quando está com eles a sua solidão não está apenas enrustida? Disfarçada? Mas, lá no fundo, você continua sentindo falta do que acha que vai te fazer feliz? Um relacionamento. É verdade que quando nos apaixonamos, os dias se tornam muito mais coloridos, mas será que relacionamento é tudo isso mesmo? Eu vejo os casais lado a lado, entediados já da presença um do outro; vejo as pessoas se suportando, vejo garotas que precisam de auto-afirmação de “Meu namorado” pra lá e pra cá, mas não sinto a energia do amor as envolverem, nem aquele brilho tão lindo nos olhos e acho que sequer sentem aquele frio gostoso na barriga... E, às vezes, eu acho que acho de mais, porém continuo achando... A maioria dos relacionamentos são farsas, então você não precisa de um relacionamento; precisa se apaixonar enlouquecedoramente, precisa sentir teu coração bater por aquela guria; precisa simplesmente confiar que ela é um amor de verdade... Sim, acho que viajei na utopia, mas precisava te dizer que, muitas vezes, ter um relacionamento não vai servir pra aplacar a solidão. No começo é assim mesmo, tudo lindo e cor-de-rosa, mas na maioria das vezes, as pessoas mantêm um relacionamento apenas por conveniência. A conveniência de ter alguém pra ajudar a pagar as contas. A conveniência de usar uma aliança no dedo. Conveniência de colocar uma foto do casal como papel de parede do telefone. Conveniências...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Serenamente


Encara serenamente todos os desafios que te se apresentem
Serenamente a oportunidade perdida
Serenamente o riso e a lágrima
Serenamente a despedida

Encara serenamente o reencontro marcante
A saudade cortante que te faz chorar
Encara serenamente a privação e a miséria
A frustração e a desdita
E a bendita revelia das ondas do teu mar...

Serenamente o filho que parte
Serenamente alguém que chega
Serenamente o tempo que passa
Serenamente o martírio e a dor
Encara serenamente cada pequena coisa
Cada hora do teu dia
Serenamente, com fé e amor.