About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

sábado, 12 de maio de 2012

Não esqueça de viver




Há pessoas que vivem,
Pessoas que pensam que vivem
E pessoas que vegetam.

Aquelas que vivem não ligam preocupação verdadeira para nada. Vivem um dia de cada vez, andam passo a passo, têm fé e confiança e resolvem os problemas conforme eles se apresentam.
As que pensam que vivem estão sempre planejando um futuro imaginário, pois não há nenhuma certeza que ele virá. Elas trabalham arduamente, enchem-se de reservas, só dão os passos que consideram acertados e se desviam de qualquer coisa que possa se mostrar muito empolgante, emocionante demais ou demasiado difícil. Elas precisam de uma vida previsível.
As pessoas que vegetam apenas existem, respiram. Não têm fé ou confiança ou planos; às vezes, têm sonhos, mas não fazem por realizá-los; perdem-se em anseios e vazios, mas estão certas de que vivem e aproveitam mais que todas as outras.
As pessoas que vivem fazem de cada dia o último, mesmo confiando em um amanhã.
As que pensam que vivem fazem de cada dia o primeiro, pois o amanhã para elas é eterno e sempre haverá tempo para procrastinar coisas sem importância, como o amor, a gratidão e a alegria deste momento. Bobagens!
As que vegetam apropriam-se de todos os excessos no agora, pois se não sabe do dia de amanhã, tem que fazer toda e qualquer coisa no hoje, de qualquer jeito e sem importar como, onde e com quem.
Um dia, as pessoas que vivem olham para trás e percebem que fizeram tudo ao seu alcance para viver como queriam. Percebem que de nada se arrependem, pois se arrependeriam se não tivessem feito, mas buscaram coragem e firmaram o olhar no horizonte, acertando mesmo no erro.
Um dia, as pessoas que pensam que vivem olham para trás e percebem que já não são tão jovens, nem tão idealistas, nem tão certas de tudo como outrora e vêem o tempo que perderam fazendo coisas que não gostavam, construindo patrimônios que não as fizeram felizes e realizando sonhos que, pensaram, as fariam sentir-se alguém, mas que nesse embalo, o verdadeiro âmago da vida ficou perdido e já não é mais possível resgatá-lo.
As que vegetam, com o tempo olham para trás e percebem-se colhendo os frutos de todas suas desilusões, de todas suas diversões vazias; percebem-se ausentes de si mesmas e se questionam o que, afinal, nesta vida vale a pena, uma vez que tiveram tudo e sentem-se totalmente sem nada...

O dia é hoje. A hora é agora.
Qual dos três você é?

0 comentários :

Postar um comentário