About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

O nosso tempo e o tempo das coisas



Quantas vezes você já brigou, esperneou, se chateou por querer muito algo e este não chegar até você? Quantas vezes se entristeceu com Deus por não ter atendido suas preces, decepcionou-se com pessoas e situações, teve a sensação de ser a criatura mais infeliz do mundo?
Isso acontece quando queremos as coisas no nosso tempo. Nos deixamos dominar por paixões e desejos que nos arrastam, iludindo nossas mentes de que tudo pode ser conforme idealizado e nos frustramos quando não acontece assim. Culpamos a vida, o acaso, a nós mesmos, por não termos conseguido sucesso naquela entrevista do emprego dos nossos sonhos; naquele lance que caminhava para um namoro; naquela seleção para mestrado em uma federal, sem perceber que a sabedoria da vida age silenciosamente e nos vela por entre nossos momentos de desesperança.
Com certeza também, você já viveu um caso assim: de batalhar ardentemente por algo, fazendo tudo ao seu alcance para realizá-lo e ele simplesmente se lhe escapar dos dedos. Anos depois a situação volta, quase “de graça”, sem esforço, pois o empenho despendido lá atrás não foi esquecido.
Obviamente, em um momento de dor ou desespero, não se pode consolar-se apenas com o pensamento de que a falta era o melhor pra você naquele momento. Isso vai contra nossas próprias leis, que baseiam na realização do desejo os alicerces de seu sucesso. Nesse desassossego, quase nunca pensamos que toda e qualquer ação não influi somente em nossa vida, e sim, em todo universo. Sei que esse papo cósmico às vezes cansa, mas a verdade é que absolutamente tudo interfere em tudo, pois não existe causa isolada, nada pode suceder que não influencie em outras diversas reações nos mais variados aspectos, na vida de muitos. Já usei essa frase antes: o mundo só será equilibrado quando cada um entender que cada ação sua interfere no universo inteiro. Uma pequena ação sua muda não só o seu destino, mas o de diversas pessoas, inclusive algumas que você nem sabe que existem.
Ansiamos por realizar nossos desejos e temos esse direito. É o desejo que move a vida. Mas, só podemos ir até onde isso não prejudique ninguém. Além disso, se há algo travando, possivelmente é um sinal de que a realização desse desejo agora não traria todo bem suposto. Tudo o que podemos ver é uma pequena linha se comparado a tudo que cada ato, fato e situação encerra. Só Deus tem a visão do todo. Nós detemos uma pequena parte e somos movidos por ela (o desejo). Porém, se não é a hora das coisas, nada fará com que aconteça. Entretanto, quando é a hora das coisas, o mais leve toque abre a tampa da caixa que antes parecia lacrada. A realização de um desejo seria, ainda, a sintonia entre a nossa hora e a hora das coisas... Por isso, devemos lutar, acreditar, mas nunca ultrapassar as barreiras do bom senso, e reconhecer a hora de abrir mão de algo, quando não é para ser nosso. Ou, ao menos não, naquele momento.
Ainda que haja barreiras, dificuldades, interferências espirituais e obstáculos de todos os tipos, quando há merecimento, as coisas chegam até nós. Só precisamos exercitar a paciência para entender que se Deus demora em atender algo é porque Ele tem um propósito: ou fazer endurecer nossa fibra espiritual através da espera ou então Ele se demora para fazer um milagre maior. Suas demoras são sempre propositadas.

1 comentários :

Lia disse...

Perfeito, amiga! Deus nunca chega atrasado, muito menos se adianta para nos dar algo. Tudo vem na hora certa, basta estarmos preparados.

Abração!

Postar um comentário