About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

1+1=2 ≠ 1+1=1


Tenho notado cada vez mais um fenômeno interessante nos meus amigos que namoram: não fazem mais nada sozinhos. De repente, para toda e qualquer ocasião que você gostaria de levar aquela pessoa, um (a) incômodo (a) agregado (a) precisa se fazer presente, mesmo quando se trata de uma reunião íntima ou algo estritamente entre amigos. Pior que isso: pouco a pouco a pessoa vai sumindo, não atende mais telefone nem responde recados; quando você encontra o amigo do sexo oposto na rua, nem sempre fica à vontade para cumprimentá-lo, pois a namorada ciumenta já te olha como se quisesse bater em você.
A matemática não se engana: 1+1 é igual a 2, e não igual a 1. Pessoas que estão em um relacionamento deveriam manter a individualidade – sua unidade não está nisso. Veja bem, eu disse estão em um relacionamento. Elas não são isso, é um momento. Cada um tem amigos, gostos, atividades dos quais nem sempre compartilham. Mesmo o casamento, que faz oficialmente de duas pessoas um casal, torna-se chato e enfadonho a partir do momento em que os dois têm de estar sempre juntos. Isso afasta as demais pessoas, sem contar que desgasta o próprio casal. E no dia que o namoro terminar (não se iluda, fatualmente, na maioria dos casos, ele vai), para quem você vai correr, senão aqueles mesmos amigos que desprezou?
É comum quando a paixão toma conta não se querer saber de (quase) mais ninguém. De um momento para o outro, aquela pessoa se torna um mundo e só o contato com ela parece fazer sentido. Tudo pode esperar; todas as coisas do dia-a-dia parecem mais coloridas; nada é mais tão desgastante, afinal se terá uma recompensa, que no fim das contas, é o que mais vale. No fundo, no fundo, todo ser humano sonha em ser amado, em amar e ser correspondido, não importa o quão ogro seja e o quanto negue veementemente isso. E quando as viseiras da paixão nos fazem chegar perto desse paraíso, tudo o que se quer é zelar pela manutenção da durabilidade desse estado e mostrar àquela pessoa que nos faz sentir assim o quanto ela é importante – trata-se, na verdade, de uma espécie de bonificação. Entretanto, tudo exige raciocínio, e ignorar o mundo à nossa volta é uma atitude burra! Você gosta da pessoa, admira a pessoa, mas você não é ela!!! Você tem uma história construída antes de ela aparecer, tem amigos que te conhecem desde que você nasceu e tem momentos (sim, continuará tendo!) em que gostaria de estar sozinho, agir sozinho, sair sozinho. Quem foi que disse que namorado (a) tem que estar disponível 24 horas por dia? Quem foi que disse que a sua namorada importa mais que o seu melhor amigo? Onde a cláusula nesse contrato de posse em que o outro não pode ter amigas; que a garota não pode abraçar um colega; que os pombinhos precisam estar sempre grudados?
Ligação física é importante. Mas, não é tudo. Manter a própria individualidade é respeitar a si mesmo, respeitar o outro, em hipótese nenhuma significa gostar menos. Eu diria mesmo que para um namoro equilibrado, seria indispensável que um e outro mantivessem momentos com seus amigos, com sua família e consigo mesmos sem a intrusão constante do par. O (a) namorado (a) é uma das poucas pessoas na vida que se pode escolher. Não escolhe mãe, pai, irmão. Logo, estar com alguém deveria significar carinho, confiança, respeito mútuo e, sobretudo, personalidade. É uma soma de idéias, de crenças, de valores, acima de tudo, de histórias, mas jamais uma fusão. Cada um tem a sua, seus sonhos e ideais; relacionar-se se entende por sonhar juntos, mas não abrir mão do seu sonho para sonhar o sonho do outro. A não ser que verdadeiramente compartilhem de tal. A coisa mais triste que se vê por aí – e uma das que mais se tem – é essa anulação de si mesmo; aquilo de “meu namorado não deixa”, “minha namorada não quer, tem ciúme”... Acorde! Se alguém te impede de ser feliz, de expressar tudo que essencialmente pode vir a tornar-se, essa pessoa não ama aquilo que você é. Ama a ilusão de que te possui e até onde isso é conveniente pra ela.  

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Será...?


Que você ainda pode chorar quando pensa em mim?
Em tudo aquilo que fomos e no que poderíamos ter sido?
Será que lamenta algum dia sem me ver, não beijar meus olhos?
O que será que vem à sua mente quando meu nome é mencionado?
E de todos os escombros de emoção, restará alguma lembrança feliz, uma solene esperança?
Que músicas me levam pra você? Quando foi a última vez que sorriu ao lembrar de mim?

Será que algum dia o vento vai me responder...?

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

A little about you


Você que é menina-mulher,
Que pensa e fala o que quer,
Sem se importar com qualquer opinião,
Mas tem sentimento, tem um bom coração.

Você, que é tão erudita e ao mesmo tempo simples toda vida,
Você que é dócil e querida, agora é a minha amiga!
Chegou tão de repente pelo mundo virtual,
Mas sua presença hoje é mais que real.

Você que é mulher-menina,
Com sua intensidade de amar estima,
Que em tudo vê algo divino,
Que sabe driblar as desventuras de seu destino.

Sei que nada foi fácil pra você,
Mas os Céus sempre te deram forças pra vencer.
Uma sonhadora que não deixou seus sonhos mais genuínos serem contaminados,
que extrai benefícios até quando seu coração é maltratado.

Que chora, que ora, que luta sem se entregar,
Que é inteligente, que persuade, o mundo invade com seu jeito de se expressar.
Siga em frente, Kelly Phoenix, nunca pare no caminho,
 tu és inaudita, embora às vezes se sinta como um peregrino,
 numa terra onde densas trevas vem pousar,
mas Deus estará contigo, é teu amigo e nunca vai te abandonar!

Poema escrito para mim por minha amiga Lia Nogueira, em 14/02/2012, às 17:10hs.

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Mais amiga que namorada


Pra ouvir você, te entender. Acariciar sua fronte com o desprendimento de uma mãe, e não só o apego egoísta de uma menininha boba! Saber que tem dias que não seremos um casal, mas dois amigos muito parecidos, com dores e alegrias semelhantes, que contam um com o outro para sobreviver. Que poderemos dividir nosso segredo mais íntimo sem ter medo do julgamento do outro. Sem temer que um dia tudo acabe. Mais amiga que namorada, porque amizade dura mais que paixão. Porque amigas são sempre requisitadas e a confiança é muito mais plena. Porque o colorido da amizade não desbota com o tempo e porque além de te amar, preciso fazer coisas com você! Coisas que amigos fazem! Amiga-quase-namorada, amiga-meio-namorada ou namorada-melhor-amiga. Amigos e namorados, porque dizem que amizade é um amor que nunca morre...

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Trem das 7


Quando menos esperamos, o trem passa e leva alguém muito amado. Alguém que faz diferença, que é especial, que vai fazer falta, que vamos sentir tanto... O trem passa, mas nem sempre às sete; o trem não apita quando vem e nos faz ir à plataforma nos despedir sem nenhum preparo... Todos os dias ele passa, mas nunca podemos saber quando vai passar perto da gente...

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012


A dor é o único tratado que assinamos antes de voltar a esse mundo miserável e triste...

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Não me peça exclusividade

Isso é uma invenção humana, não divina. Meu coração não é exclusivo, ele foi feito para amar. Estar com uma pessoa não me impede de amar outra. E aí, a traição está no ato ou no pensamento? Se acontecer de amar outra pessoa enquanto se está com alguém, não é muito mais digno ser sincero consigo e com o outro? 


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Ele é bonito e...


Mais nada. Ele não tem papo, não tem conteúdo, não tem bom gosto musical nem é simpático. Ele não é comunicativo, não é cativante, não é romântico nem engraçado. Não é sensível, não é esperto e não é fascinante. Ele é bonito. E isso é tudo o que ele é. Bonito, e nada mais.