About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Não gosto de visitas


Não gosto de gente em casa: simples assim. Nem que vem de surpresa, nem com hora marcada. Não sei receber direito, nunca sei se ser eu mesma basta ou se preciso ficar atendendo protocolos. Não gosto de ter que agradar, ser meio falsa. Tem dias que a gente está mais pra dentro, e isso não se escolhe. Não gosto das pilhas de louças engorduradas depois do almoço, dos dedos furungando as almofadas, ansiosos; não gosto do povo pegando nas coisas sem lavar as mãos... Sou muito chata pra isso e não acho que é exagero meu que se tenha as mãos higienizadas após pegar o celular ou acariciar o cachorro... Ainda mais, ao sentar à mesa! Mas, como vou educar essa gente? Colar cartazes, escrever na lousa da cozinha, promover uma campanha no facebook? Fico constrangida.
Não gosto de visitas que vêm em turmas, em manadas... Tipo, famílias inteiras, com os namorados das filhas e o linguicinha. Não gosto de visitas que têm crianças... Mexericam meus livros na estante, meu PC, meu violão... Não gosto de cozinhar pra visitas... Tachos e tachos, barulho, sujeira... Vamos esquecer esse negócio de comunhão... Há bons restaurantes pra isso. Também não gosto quando todas as visitas falam ao mesmo tempo, mas até prefiro quando a visita que veio só pra comer se flagra e vai abrindo os armários, metendo-se a fazer a sobremesa...
Não gosto das visitas matinais – principalmente naqueles dias que se quer dormir até mais tarde. Não gosto também das visitas que se convidam, ligando meia hora antes pra saber se vai ter gente em casa.
Eu não gosto de visitas. O que não corresponde a não gostar de receber quem eu gosto em casa. Se for combinado, de comum acordo; se for em pequenas quantidades ou reuniões mais íntimas. Gosto de reunir os amigos em pequenos jantares, onde podemos fazer uma boa refeição juntos e jogar conversa fora. Todos colaboram, fazem supermercado, opinam na sobremesa, cozinham. Esses encontros que eu e alguns amigos promovemos já há alguns anos e que constituem visitas mútuas, mas sem a obrigação da polidez ou de ter de ficar medindo as próprias ações.

E não gosto também de hóspedes. Para mim, são só o exponencial das visitas, com o agravante de que vou ter que dividir minha privacidade. Mas, tem uma atitude das visitas que realmente me deixa satisfeita: não, não é só quando ligam desmarcando... Verdadeiramente, quem lava as mãos antes das refeições, sem eu mandar, sempre ganha um ponto comigo!

PS: Eu gosto de visitas no blog, whatever.

1 comentários :

Unknown disse...

Pensei que só eu passava por essas coisas, mais eu tenho 17 anos, não posso controlar quem meus pais trás dentro de casa.

Postar um comentário