About my Blog

Reflexões, citações, crônicas e extrações sobre filosofia, literatura, espiritualidade, emoções, percepções e sentimentos, e um plus para tudo o que vier na mente.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Carta para mim mesma 10 anos atrás


Ei, garota! Faltam poucos dias. Vinte anos, hem! Quais serão seus sonhos para essa próxima década?
Preste atenção em uma coisa, isso vai soar esquisito, mas... eu sou você. É, você! Sei que é difícil acreditar agora (acho que se uma elegante senhora – e eu realmente espero que ela seja elegante – de seus 39 anos aparecesse nesse minuto e dissesse que sou eu daqui há 10 anos, eu também não acreditaria, mas...). O importante é que eu quero te dizer como pode desfrutar os próximos 10 anos de uma forma menos dolorosa e mais bem resolvida. Embora, eu tenha sérias dúvidas se, ao final dessa experiência, você poderia ser eu novamente. Mas, ok, vamos lá.
Em 1º lugar: você é muito sonhadora. Eu ia dizer molenga, mas preferi pegar leve com você, é só uma menina. Mas, olha, é o seguinte: sonhar é bom, mas realizar é melhor ainda. Você precisa acreditar na concretização de seus ideais, e não ficá-los jogando nas personagens dos seus livros. (Aliás, garota, daqui 10 anos você nem vai ter coragem de ler esses seus livros...).
Bom, vamos a mais um ponto. Sabe essa vontade que, às vezes, você tem de mudar? De ser mais louca, mais ousada, de fazer algo que vá totalmente contra os seus princípios... Obedeça, vá. Pelo menos uma vezinha. Você será um tanto frustrada mais tarde por não ter cometido algumas loucuras. Pare de ser comedida na hora de cortar o cabelo. Pare de ouvir o que sua mãe acha melhor pra você. Pare de ser refém dos desejos dos outros... Quando você resolver ser você mesma vai estourar, vai surpreender, vai doer em todo mundo que estiver perto. Seria muito mais fácil se você simplesmente sempre seguisse seu coração... Seja menos indecisa para fazer alguma coisa fora da rotina e do comum, ou simplesmente, seja mais livre para escolher uma roupa diferente. Aliás, você não perde essa sua mania de gostar de all star, hem? Deve ser por causa dessas suas profissões esquisitas.
Profissões esquisitas? – você deve estar se perguntando. Sim, você vai prestar vestibular para psicologia. Sua desculpa é que gostaria de se conhecer melhor. Mas, no dia mesmo da prova, vai estar ressentida, porque queria publicidade. Você se esqueceu totalmente que no último ano do colégio ia fazer jornalismo. E ainda pende um pouquinho para letras, mas guardará pra sempre as palavras daquela sua professora de português. Enfim: você vai viver desses seus ideais de cinema. Esses curtas que você brinca nos finais de semana com gente bem mais velha nunca serão esquecidos por você. Mas, depois falamos sobre isso. O que eu quero dizer agora é sobre profissões. Olha, menina, vou te dizer uma coisa: Comunicação Social, Artes, Literatura, Filosofia... É tudo muito bonito, mas não dá dinheiro! E você pende naturalmente ao que é mais caro, você não tem jeito...! Depois, não diga que não avisei! (Bem, querida, pelo menos tênis de lona não é assim tão caro... Tudo bem aos 29, mas é uma coisa para se repensar 10 anos depois, concorda?).
Garota, você devia se preocupar um pouco menos com os outros e cuidar mais de você! Lá na frente, vai olhar para trás e se arrepender de algumas coisas que não fez. E de algumas que fez também, mas essas serão em bem menor número. Você é uma pessoa de incertezas e vai viver se perguntando o que teria sido. Ah... você não tem jeito mesmo...!
Eu lembro que você é uma graça de menina! Baixinha, delicada, tímida demais, às vezes... Você se acha gordinha. Como você é bobinha! Não consegue olhar em volta, não é mesmo? Deixe de ser tão insegura. Você é tão linda. Você fica muito bonita quando enrubesce. Tem gente apaixonada por você, por que não olha em volta? Pare de idealizar! Você vai deixar passar pessoas muito legais e irem embora por essa sua mania de idealização...
Aliás, vamos falar também dos seus choros. Sabe, em 10 anos, me acredite: quase toda lágrima vai ter valido a pena. Não é que você tenha merecido chorar, mas, naquelas ocasiões, foi a melhor forma que podia ter aprendido. O bom é que você vai se fortalecer, e depois, não é qualquer coisa que vai te fazer chorar.
Ah, sim, você vai entrar na faculdade. E vai sair, o que também é importante, hehe. Vai lembrar de quando escrevia sentada nos degraus da universidade, no intervalo do seu trabalho no “xérox” e se perguntava isso. E, oh yes, você vai entrar em psicologia e logo vai trocar para a sua publicidade. Vai conhecer pessoas ótimas nesse curso, mas nenhuma delas vai ficar em sua vida por mais que uma estação. O que não impedirá de guardar boas lembranças. E alguma saudade também.
Guria, temos que falar sobre idade... Quando você chegar aos 25, vai começar a pirar, com medo de envelhecer. Ai, como você é boba (2)! Se soubesse que com 27 vão te barrar em um show noturno e pedir seu RG, será que você não seria mais relaxada? Eles vão impedir veementemente a sua entrada. E você, com aquela baby look preta e uma cara de marrenta (do alto do seu all star, é claro) vai se julgar ofendida: “Como assim meu RG?”. Baby, você só entra no show se mostrar um documento com foto. Essa sua síndrome de Adaline aí não vai colar. O pior é que depois você vai cansar tanto dessa história de omitir a idade que vai desencanar totalmente disso... Bipolar! Uma louca, para dizer o mínimo.
Ah, se eu pudesse te dar um conselho agora (se você pudesse me ouvir, hem?), eu diria: Saia da asa da família o quanto antes! Sabe aquele curso na UFSM que você brilhava o olho aos 17? Meu bem, com 19 ainda dá tempo: vaza! Voe, caia fora, se quebre um pouco, realmente a hora é agora! E, se puder, tire a encrenca da carteira de motorista também. Você vai iniciar o processo aos 23 e vai desistir na oitava aula. NÃO FAÇA ISSO! É uma burocracia estúpida que, adiante, vai te consumir muito mais tempo, vontade e dinheiro do que você gostaria de oferecer.
Ah, eu sei que com quase 20 aninhos você já se apaixonou muitas vezes. Lamentou alguns casos, teve sucesso em outros, mandou uns caras legais passearem e ainda sonha em encontrar alguém que faça a diferença. Olha, menina, para: nesses próximos 10 anos, as notícias não são nada animadoras. Você vai conhecer um que, no dia do encontro, vai julgar ser sua “alma gêmea”... Ai, meu Deus, não acredite nessa bobagem! Pule fora! Esqueça seu romantismo barato com Veneza, com cavalos, com palavrinhas bonitas no msn. É uma cilada, Bino!! Porque, para esquecer esse (que é gay!!), você vai cruzar do paraíso ao inferno com um outro, que vai te corresponder em tudo, mas... ele perdeu o pai recentemente e vive um momento complicado... Ele vai te levar ao cinema e te fazer rir, mas depois... ele vai te fazer chorar. Corte ele no primeiro dia de aula! Não olhe para ele, paraaaaa! Não deixe ele sentar atrás de você, mude de lugar. Não fique rindo das piadas dele e de como ele imita a cara da professora. Menina, não aceite ficar até 10 da noite com ele no campus se a aula termina às 7... A afinidade é grande, mas você vai sofrer. E, anos depois, vocês vão se encontrar na rua e ainda procurar nos olhos um do outro uma explicação pra essa merda. Então, PARA! Nada de risadinhas com ele! Nada de códigos, ligações. Pula fora no começo.
Pior que este, talvez, só aquele que tinha a fala mansa, dizia o que você queria ouvir... Aquele olho caído de sonso, sempre te cercando sutilmente... E, você, abobada, vai cair de novo? NÃOOOOOO! Meu anjo, você não sabe o quanto vai penar pra tirar cada um desses trastes da cabeça! Você vai ser assombrada pelas palavras deles. Todos, sem exceção, vão se transformar em sapos bem diante dos seus olhos! E você quer saber mais? Lá vai... Depois disso aí, você vai se fechar. Como uma ostra. Vai lavar a alma por causa desses desgraçados e vai prometer que nunca mais nenhum moleque entra nesse seu coração. E, contra todas as possibilidades... você vai cumprir. Você vai apagá-los da sua mente consciente como as garatujas em suas primeiras aulas de pintura. Seu olho não vai brilhar com nenhuma historinha “de amor”; você vai rir dos casais que dizem que se amam; vai ter certeza que o casamento é uma instituição falida... Orgulhosa, vai adotar a postura, “se não é como eu quero... eu não quero. Rum.” Você não vai chegar a ser assim, amarga... Mas, vai ser aquela durona difícil na queda, que não acredita, não se entrega mais, se assusta. Talvez, um pouquinho seja fachada. Só um pouquinho. Por um lado, essa sua atitude vai ser boa, porque vai usar toda a força para lutar pelos seus estudos, pelos seus projetos de vida e vai se fazer meio sozinha. Vai acabar achando que homem não serve pra muita coisa. E vai sair de tanta ilusão mais forte. Todavia, por outro lado... talvez você devesse chegar à conclusão que são necessárias algumas bijuterias baratas para poder reconhecer uma jóia. Quem sabe, com jeitinho... você não vai se dobrando aos poucos... sempre muito desconfiada, é claro... tentando fugir, resistindo, mas... se entregando? Olha, garota, eu não sei, eu só vim há 10 anos do seu futuro. Mas algo me diz que você já está se vergando...
Sabe, em 10 anos, muita coisa vai mudar de lugar. Você vai mudar sua relação com as pessoas, sua forma de ver o mundo, de se relacionar com dinheiro, até com os livros que você ama tanto. Vai adquirir (ou desenvolver) um poder fantástico de seduzir pelas palavras, de doar de si através delas; vai falar sobre tudo com a maior naturalidade e vai cativar naturalmente. Você vai exibir um verniz que ofusca quando quer, mas, muitas vezes, por dentro, trará um coração que chora. E vai cuidar para que ninguém perceba. Acreditará piamente que isso é proteção.
Você vai colocar e tirar seu desejado aparelho nos dentes. Seu sorriso vai ficar lindo. Vai ter um melhor amigo gay e ele vai te revelar facetas do universo masculino que nenhum amigo seu conseguiu. Vai se confrontar com fatos do seu passado familiar... Vai se tornar vegetariana... Coisa que quando seu amigo quarentão cineasta falava que deveria fazer, se limitava a responder: Ah, eu não consigo...
Falando em amigo cineasta e aspirantes a realizadores de cinema, in ou felizmente, você vai perder contato com todos que te ensinaram um pouco mais sobre a sétima arte. Porém, aquelas manhãs de sábado no café – manhãs dos seus 19 anos – sobre filmes, diretores, sexo, emoções e coisas que naquela época você não entendia direito, de forma tão aberta e livre, elas vão ecoar de vez em quando, quando você for mais velha, e intimamente vai se sentir grata por elas.
Os próximos 10 anos também serão muito ricos espiritualmente. Você vai manter contato com os dois mundos; vai ter lembranças passadas que lhe explicarão situações atuais; vai fortalecer e abalar sua fé. Você vai ser mais confiante e mais prática; mais tênue e pragmática; embora deva cuidar com tendências à falta de ação por ficar apenas aceitando o curso do rio.
Garota, 10 anos passam muito depressa. Você vai fazer viagens inesquecíveis, vai entender porque gente mais velha diz que “os jovens não sabem nada da vida”, vai criar um blog cheio de inspiração que vai atrair muita gente interessante... Você vai enterrar alguns amigos; vai sepultar também alguns sonhos; vai ver seu sobrinho e as árvores do campo crescerem na mesma velocidade... Portanto, pare com essa ideia romântica de achar que tem toda a vida pela frente. Passa muito rápido! Você vai ver as crianças do vizinho casando e tendo filhos e as cãs nas têmporas de seus pais; vai ver as coisas mudando de lugar, vai ver que nada vai permanecer e... vai querer saber o que é o tempo. Logo, menina... se eu voltasse a ser você, se eu pudesse voltar 10 anos atrás, eu mudaria (eu acho) muita coisa que hoje em dia aproxima ou distancia a gente. Eu torceria pra você não mudar essa sua ingenuidade de ver o mundo, esse seu jeito quase puro, tantas vezes maculado. Só que, eu perguntaria, justamente... Garota, será que se você tivesse seguido os conselhos dessa carta... Eu saberia escrevê-la?

0 comentários :

Postar um comentário